Ciclos…

Padrão

E chega ao fim mais um ciclo. Fazendo uma breve avaliação, eu percebo que só tenho a agradecer por tudo o que vivi nessa roda. Ela foi cheia de surpresas, ensinamentos, conquistas e derrotas, começos e fins, e muita gente nova entrou na minha vida, pessoas que fazem à diferença no mundo, no meu mundo. Pessoas que eu estou aprendendo a amar e a respeitar a cada dia. Preciso dizer uma só coisa: Amo muito tudo isso!

Aprendi que, mesmo as coisas ditas ruins, sempre têm algo a nós ensinar e percebi que elas não surgem por surgir, há sempre algo escondido, esperando para ser descoberto, revelado.

Agora faço planos para o ciclo que começa, respiro fundo e me preparo para seguir renovado e confiante. Confio naqueles que me deram a mão. Confio no T, no C e no S.

Sigo através das sombras, mesmo que meus passos sejam por vezes incertos.

Sigo através das sombras, mesmo quando o desânimo é meu fiel companheiro.

Sigo através das sombras, mesmo quando as dúvidas se tornam minha bagagem.

Sigo através das sombras, mesmo quando a fé é meu único abrigo.

Sigo através das sombras, mesmo quando a dor surge mascarada como uma suave brisa.

Sigo através das sombras; já tirei minhas jóias e minhas vestes, agora preciso me livrar das muitas máscaras que carrego.

Sigo através das sombras um vulto de uma mulher, que ri e que chora, que dança e celebra, que nutre e protege, que dá e que toma. Ás vezes é uma donzela, em momentos carrega uma criança, em outros é uma velha. Me disse ser todas ao meu mesmo tempo. Ela corre e eu corro junto, mas ela sempre está na minha frente. Eu continuo a seguir essa bela donzela, embora, eu acredite estar indo para um precipício. Mas, Ela diz: –  É preciso morrer para renascer, e depois de tirar todas as suas máscaras, vou tirar a sua pele, e uma nova você ganhará e asas de dragão também vou lhe dar, se no final da jornada você for capaz de chegar.

Sigo através das sombras um vulto de uma mulher, que ri e que chora, que dança e celebra, que nutre e protege, que dá e que toma…

Ravyn Esidor.

Anúncios

Sobre Vernon Kirke

Eu sou pagão e vivencio minha religião. Sou a parte de um todo. Sou único e complexo. Eu me completo, me basto e me satisfaço. Sou capaz de mudar de ideia como mudo de roupa. Amo na mesma intensidade com a que posso odiar. Gosto de amigos sinceros e amores intensos. Gosto do vento que anuncia a chuva, gosto do barulho da chuva e do ar melancólico que ela causa no ambiente. Gosto quando o vento embaralha meus sentimentos e confundi minhas ideias. Sonho e realizo muito. Escuto mil vezes a mesma música, danço na frente do espelho. Tenho medo do escuro. Choro fácil. Tenho sorrisos tímidos e olhares provocantes. Ás vezes acordo achando a vida desbotada, sem cor, e sinto-me apodrecer por dentro, nesses dias, tenho a certeza que meu coração parou e minha alma resolveu tirar férias, além de me encontrar vazio de pensamentos e sentimentos. Odeio injustiças, falta de caráter, ingratidão, traição e algumas pessoas que ocupam todo o seu tempo se metendo na vida dos outros. Gosto do perfume exalado por outros corpos, beijos lentos e abraços apertados. Estou sempre lendo. E a música já virou rotina na minha vida.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s